Toxina Botulínica nos músculos da face

Aprenda sobre a anatomia dos músculos faciais para planejar o tratamento do seu paciente de forma mais eficiente e segura!

toxina botulínica nos músculos da face faciais musculatura rosto botox

Os profissionais da área da saúde têm um conhecimento amplo sobre a anatomia humana. Aqueles que decidiram trabalhar com Harmonização Orofacial (HOF) devem aprofundar ainda mais esse conhecimento. Saber exatamente como aplicar a Toxina Botulínica nos músculos faciais é uma obrigação de todo profissional.

Nosso rosto é altamente vascularizado. Isso significa que mesmo que o profissional não cometa erros, o paciente ainda pode apresentar reações adversas decorrente do próprio produto.

Quando o erro é por parte do profissional, geralmente é por realizar uma diluição inadequada do produto, aplicar uma quantidade excessiva ou utilizar uma técnica inapropriada. Os erros podem acarretar em efeitos adversos, como ptose, diplopia e elevação indesejada da cauda do supercílio.

É natural que surjam edema e dor no local da aplicação. Contudo, eles podem se intensificar, caso aconteça algum erro no procedimento.

Então, para que você não cometa erros e evite causar reações adversas nos seus pacientes, você deve aprender como utilizar corretamente a Toxina Botulínica nos músculos da face.

Continue lendo para aprender mais sobre a anatomia do rosto e ter mais segurança para realizar os procedimentos!

Classificação dos músculos da face

Para entender com mais clareza a anatomia facial, devemos conhecer primeiro as diferenças entre face anterior e posterior.

A face anterior abrange desde o músculo frontal até os músculos da mastigação, ou seja, é a que mais utilizamos. Já a face posterior é onde estão os músculos associados à dor facial.

Por exemplo, na face anterior, utilizamos mais a Toxina Botulínica para fins estéticos. Enquanto que o uso do produto na face posterior serve para amenizar alguma dor ou patologia, como bruxismo, briquismo e DTM (Disfunção Temporomandibular).

Essas diferenças interferem no planejamento do tratamento, porque o profissional de HOF deverá decidir qual é a marca, dose e técnica mais apropriada para o objetivo do procedimento.

Contudo, a face não é dividida apenas em anterior e posterior. Também há os terços faciais, que são classificados como superior, médio e inferior.

O terço superior, de acordo com a revista Surgical & Cosmetic Dermatology, vai desde a linha imaginária de tragus ao canto externo dos olhos. Ele envolve desde os cílios da pálpebra inferior até a raiz nasal. O terço médio é representado pela linha imaginária entre os cílios e a raiz nasal até outra linha imaginária, que começa no tragus e vai até o ângulo da boca. Já o terço inferior está entre esta última linha citada acima até a margem da mandíbula.

Musculatura facial

É essencial conhecer a anatomia da face para aplicar Toxina Botulínica nos músculos com segurança e eficiência. Só para exemplificar a importância de ter esse conhecimento, no prontuário de HOF, você deve acrescentar um registro visual dos músculos que você irá aplicar o produto.

Para isso, deve fotografar o paciente, realizando diversas expressões faciais, uma para cada foto. Assim, você conseguirá analisar a contração muscular com mais precisão, examinando como as rítides se formam a cada movimento.

Por isso, vamos te mostrar os principais músculos que você deve conhecer para realizar o procedimento.

1- Músculo Frontal

O músculo frontal se encontra na face anterior, no terço superior. Ele é responsável por elevar os supercílios e a pele do nariz, assim como de movimentar o couro cabeludo e enrugar a fronte. É por causa dele que se formas as rugas quando realizamos expressões de surpresa, atenção e medo, por exemplo.

A aplicação de Toxina Botulínica nos músculos é feita na lombada, quando o paciente estiver realizando força de contração. Lembrando que a marcação de pontos sequencial é a mais indicada.

2- Músculo Prócero e Músculo Corrugador do Supercílio

Esses músculos têm grande atividade muscular na região glabelar, formando rugas perpendiculares à contração, na raiz do nariz. Eles estão relacionados a expressões negativas, como as de bravo e de sofrimento.

O músculo Prócero se encontra na parte inferior da fronte, entre as sobrancelhas. Já o músculo Corrugador do Supercílio se insere no terço médio do supercílio.

Todavia, há muitas variações anatômicas dos músculos Prócero e Corrugador do Supercílio. Portanto, você deve analisar com rigor a dinâmica da contração deles. Dessa forma, conseguirá escolher a melhor técnica e o local exato para aplicar o produto.

3- Músculo Orbicular da Boca

Agora, vamos falar sobre o músculo responsável por formar as famosas rugas de “código de barras”. O músculo Orbicular da Boca é responsável pelo movimento dos lábios. Ele se encontra na rima da boca, no terço inferior da face.

A aplicação da Toxina Botulínica é mais superficial do que nos outros músculos. Deve-se introduzir somente o bisel da agulha, limitando a aplicação na linha de junção da mucosa com a derme. Lembre-se de manter uma margem de segurança de 3 a 5 mm acima, sempre evitando a região de filtro.

É uma região um tanto polêmica, porque há chance do paciente ter uma ptose do lábio superior é bem grande. Por isso, muitos profissionais de harmonização optam por tratamentos alternativos para essa região. Entre eles estão o Skinbooster, o preenchimento com Ácido Hialurônico e até mesmo os Fios de PDO.

Leia também: Agulha ou Cânula: qual é o ideal para seu procedimento?

4- Músculo Orbicular dos Olhos

Esse músculo circunda toda a órbita ocular, é um músculo esfíncter. Está localizado no terço médio e sua principal função é o fechamento ativo das pálpebras. É por causa dele que se formam rugas na região periocular, os “pés de galinha”.

Essas rítides se originam quando ocorre perda volumétrica de suspensão dos coxins adiposos. Para melhorar o aspecto da região, e acabar com as rugas, é necessário reconstruir a região malar, zigomática, de arco zigomático e têmpora.

5- Músculo Nasal

O músculo nasal está inserido na porção transversal, no dorso do nariz, e na porção alar, nas imediações do ápice do nariz. Ou seja, está no terço médio da face e sua principal função é de dilatar o nariz. Portanto, é a contração desse músculo que causa as “bunny lines“, nome das rugas dessa região.

Para realizar o tratamento, primeiro, é necessário examinar a força do músculo e sua dinâmica. Caso você erro o músculo, ou injete uma quantidade errada, pode causar uma intercorrência. Por isso, deve se certificar de aplicar a Toxina quando o paciente estiver contraindo os músculos.

6- Músculo Masseter e Temporal

Esses dois músculos atuam na mastigação, mas também são responsáveis por algumas disfunções. O músculo Masseter está inserido no ramo da mandíbula. Já o músculo Temporal está no tendão superficial (borda anterior da mandíbula) e no tendão profundo (crista temporal). Ambos se encontram no terço inferior da face.

O uso da Toxina pode auxiliar no tratamento da cefaleia tensional e da fadiga muscular. A aplicação da Toxina nesse músculo ajuda a diminuir o tônus muscular, melhorando o bruxismo e briquismo. Consequentemente, também diminui a força exercida sob a ATM (Articulação Temporomandibular).

7- Músculo elevador do lábio superior e da asa do nariz

Por último, temos o músculo que é responsável por dilatar a narina e levantar o lábio superior. É a hiperatividade desse músculo que causa o sorriso gengival. Ele está inserido em dois fascículos: um na cartilagem alar maior e na pele do nariz e outro que se prolonga no lábio superior. Esse músculo está no terço inferior da face.

No músculo Elevador do Lábio Superior e da Asa do Nariz, você deve realizar as aplicações seguindo a linha de irís e da asa do nariz. Sendo que a cada 45 dias, deve remarcar um consulta para avaliar possíveis assimetrias. Você também deve ter cuidado ao aplicar Toxina Botulínica no músculo Orbicular da Boca, porque pode paralisar o sorriso do paciente.

Como utilizar Toxina Botulínica nos músculos da face?

Ao analisar a movimentação dos músculos faciais, podemos perceber que, em muitos pacientes, eles seguem o mesmo sentido. Nós chamamos isso de padrão de contração muscular, que pode ser dividido em 3: total, medial e lateral.

O padrão total é aquele em que as rítides horizontais estão presentes no centro do músculo frontal e avançam lateralmente além da linha médio pulpar até o fim da cauda da sobrancelha. Sugere-se a aplicação de Toxina Botulínica em toda a musculatura, com doses maiores na região central e menores nas laterais.

Já o padrão medial apresenta as rítides horizontais concentradas na região central da fronte, contidas, predominantemente, entre as linhas médio-pupilares. Esse também é o padrão mais fácil para realizar o arqueamento de sobrancelhas.

Por fim, temos o padrão lateral, onde as rítides horizontais predominam nas laterais da fronte. A maioria está presente após a linha médio-pupilar. Portanto, a aplicação deve seguir o ventre muscular e você deve utilizar menos unidades no centro.

Como aplicar Toxina Botulínica nos músculos?

Todo paciente precisa de um tratamento individual, que leve em consideração suas necessidades. É a partir do diagnóstico que você deverá realizar o planejamento. Assim sendo, cada tratamento tem uma sequência mais eficiente para ser realizada.

De forma geral, a melhor forma de começar o procedimento é com uma aplicação no músculo Frontal. Em seguida, partir para o músculo Orbicular e depois para o músculo Nasal, para tratar as bunny lines. Por último, você deve seguir para o músculo Prócero e para o Corrugador do Supercílio.

Mas lembre-se: não importa o tratamento, você sempre deve começar o atendimento pela anamnese. Isso porque você conseguirá coletar informações importantes para realizar o planejamento corretamente.

No SHOF, você encontra diversos modelos de anamneses, para utilizar em cada etapa do tratamento! Assim, você evitará causar intercorrências e conseguirá orientar melhor seu paciente, caso ocorra alguma reação adversa.

Saiba mais sobre o SHOF aqui.

SHOF
Autora

© SHOF - Todos os Direitos Reservados.

Contatos