Preenchimento labial: aprenda tudo sobre esse procedimento

preenchimento-labial-tratamento-harmonização-orofacial-facial-ácido-hialurônico-lábios

O preenchimento labial é um dos vários procedimentos de Harmonização Orofacial (HOF), que conquistaram os pacientes, principalmente as mulheres. Há vários motivos que influenciaram o aumento da procura por esse procedimento. Desde a perda de estrutura óssea e coxins de gordura até a perda de dentes, por exemplo.

Os fatores que citamos acima estão relacionados aos efeitos do envelhecimento na face. Mas, claro, pacientes mais jovens também desejam realizar o preenchimento. Seja por conta de alguma assimetria ou aspecto indesejado. Lábios pouco volumosos, sem contorno ou com comissuras caídas são exemplos disso.

Essas características não só são resultantes da perda de estrutura facial, como também de fatores genéticos. Por isso, você deve realizar uma anamnese completa e uma análise facial precisa para conseguir identificar e tratar o problema adequadamente. Afinal, o profissional de HOF não deve tratar apenas os sintomas, mas sim suas causas.

O preenchimento labial é um procedimento simples e rápido. Contudo, profissionais iniciantes ainda não estão familiarizados com o procedimento podem ter dúvidas. Se você quer conhecer mais sobre o procedimento, continue lendo este artigo!

Como funciona o preenchimento labial?

O preenchimento labial surgiu para realçar o contorno dos lábios, promover hidratação, brilho, volume e rejuvenescer a região. O procedimento é feito com material biocompatível e não alergênico, geralmente, o famoso Ácido Hialurônico (AH).

Há diversas técnicas para realizar esse procedimento, justamente porque ele tem mais de uma finalidade. Portanto, é dever do profissional avaliar a necessidade de cada paciente, para conseguir elaborar um planejamento correto.

Além disso, o profissional deve alinhar as expectativas do paciente com o que realmente poderá ser feito. Nem sempre o que ele busca é a solução que precisa.

Enfim, para realizar o preenchimento, pode ser necessário utilizar um bloqueio anestésico. Isso porque o lábio é uma área altamente vascularizada. Portanto, o procedimento pode ser bem doloroso ao paciente, tudo depende da sua sensibilidade à dor.

Contudo, o único profissional que pode realizar anestesia na boca é o cirurgião-dentista. Profissionais de HOF de outras áreas só podem utilizar gelo e pomadas anestésicas tópicas.

O preenchimento labial é permanente?

Quando o preenchimento labial é realizado com ácido hialurônico, por exemplo, os efeitos não são permanentes. Afinal, o AH é um material injetável temporário. Desse modo, o procedimento também pode ser revertido com hialuronidase, caso haja alguma intercorrência.

Contudo, se o material injetável for um produto permanente, como o PMMA, apenas uma cirurgia resolverá o problema.

Alguns profissionais de HOF evitam fazer uso do PMMA, porque pode causar reação inflamatória crônica. Isso faz com que a região sempre esteja vermelha e inflamada, de acordo com um artigo da Sociedade Brasileira de Dermatologia Regional de São Paulo (SBD-SP).

A remoção do produto também oferece riscos ao paciente. Além de deixar cicatrizes na região, pode proporcionar deformidades na face e até mesmo uma necrose!

Entenda mais sobre os tipos de materiais injetáveis aqui.

Quanto tempo dura os efeitos do procedimento?

A duração do preenchimento pode variar de 6 a 12 meses. Isso porque o efeito depende da qualidade dérmica. Isso inclui o nível de desidratação, tipos de perda de estruturas de sustentação da face e DVO (Dimensão Vertical de Oclusão).

Esses fatores interferem no tempo de absorção do ácido hialurônico pelo organismo. Então, quanto pior for a condição dérmica, mais rápido será absorvido.

Entretanto, isso não significa que o paciente terá que realizar várias aplicações em um curto espaço de tempo para atingir o mesmo resultado. O profissional de HOF consegue evitar isso tratando a causa da sua condição dérmica.

Para melhorar a qualidade dérmica, é possível associar outros procedimentos ao tratamento, como o peeling químico. Ele deverá ser realizado antes do preenchimento labial, para potencializar os efeitos. Assim, o procedimento poderá ter uma duração maior.

Mas não se esqueça de respeitar um intervalo mínimo de 15 dias entre um procedimento e outro, para evitar intercorrências. Esse tempo pode mudar conforme a recuperação do paciente, o tipo de produto e a região do procedimento.

Cuidados após o procedimento

Como dissemos anteriormente, o lábio é uma região altamente vascularizada. Por isso, após o preenchimento labial, é normal que formem edemas e um leve hematoma, que levam uma média de 3 dias para cessar.

Contudo, na maioria das vezes, o paciente não sabe identificar o que é normal ou não. Portanto, é obrigação do profissional de HOF orientá-lo sobre o pós-procedimento. Dessa forma, você deverá seguir algumas condutas para evitar reações adversas. Confira quais são as orientações que você deve passar ao paciente:

  • Seguir uma rotina de limpeza e hidratação nos próximos dias;
  • Não ingerir bebida alcoólica antes e após o procedimento;
  • Evitar exposição solar na região e temperaturas extremas, nos primeiros dias;
  • Tomar cuidado com movimentos intensos e manuseio de objetos à boca, nas primeiras horas;
  • Não praticar atividades extenuantes, nos próximos dias;
  • Evitar o uso de maquiagens e outros itens de beleza, nos primeiros dias;
  • Realizar uma compressa de gelo, mas sem pressionar os lábios;
  • Utilizar antioxidantes, como vitamina C e sérum.

Leia também: Orientações pós-procedimento para tratamentos de harmonização

Contraindicações do preenchimento labial

Mesmo que você utilize o ácido hialurônico, existem alguns casos que a melhor conduta é não realizar o procedimento. Caso contrário, você poderá causar intercorrências no paciente ou agravar alguma condição que ele tenha.

Veja quando você não deve realizar o preenchimento labial:

  • Pacientes que possuem hipersensibilidade à lidocaína ou a outros anestésicos;
  • Pessoas portadoras de doença autoimunes;
  • Pacientes grávidas, lactantes e menores de idade;
  • Presença de alguma infecção, lesão cutânea, ulcerada ou tumoral no local da aplicação;
  • Pacientes que passaram por um laserterapia ou peeling químico nos últimos 15 dias;
  • Pessoas com histórico de queloide;
  • Pacientes que já realizam algum procedimento com materiais permanentes.

Como otimizar o resultado do preenchimento labial?

Como você pode ter percebido, é muito importante que o profissional conheça o procedimento que ele quer realizar em seu paciente. Desse modo, reduzirá as chances de causar algum risco a sua saúde. Além disso, é necessário conhecer o paciente. Por exemplo, seu histórico de saúde, procedimentos, medicamentos e hábitos, para tomar melhores decisões no tratamento.

Uma forma de oferecer um tratamento mais seguro ao seu paciente é realizando uma anamnese a cada etapa. Assim, você conseguirá diagnosticar seu paciente com mais precisão e identificar irregularidades ao longo do tratamento.

O SHOF é o aplicativo ideal para você que precisa de um suporte clínico e legal para realizar os procedimentos de harmonização com mais segurança!

Além de oferecer as ferramentas que você precisa no dia a dia, todos os dados ficam salvos na nuvem. Assim, você não corre o risco de perder informações importantes que utilizará no planejamento e se protege juridicamente. Terá todos os documentos que necessita para comprovar que realizou o procedimento corretamente!

Clique aqui para ir até a página inicial e conhecer mais sobre o SHOF!

SHOF
Autora

© SHOF - Todos os Direitos Reservados.

Contatos