Dicas de uso, diluição e armazenamento da Toxina Botulínica

Veja o que você deve fazer para utilizar a Toxina Botulínica da melhor forma nos seus procedimentos, desde a diluição até as contraindicações

toxina botulínica botox

A Toxina Botulínica é a porta de entrada dos procedimentos de Harmonização Orofacial. Afinal, foi a primeira substância a se popularizar entre todos os outros produtos. E muitos pacientes correm para as clínicas de estética pensando que esse produto irá resolver todas as suas queixas estéticas.

Por isso é essencial que você conheça muito bem este material, suas particularidades, instruções de uso, contraindicações, entre outras informações.

Então para começar, temos que esclarecer sobre as marcas da Toxina Botulínica. Muito provavelmente, você já ouviu falar do Botox. Geralmente, os pacientes se referem a ele quando pretendem utilizar algum produto para relaxar os músculos que causam as rugas.

Contudo há outras marcas dessa substância que você, como profissional de HOF, deve conhecer. Isso porque há diferenças entre elas, sendo mais apropriadas para um determinado fim.

Se você quer conhecer mais sobre este fármaco e planejar os tratamentos dos seus pacientes de forma mais assertiva e segura, continue lendo este conteúdo que preparamos especialmente para você!

Principais Marcas da Toxina Botulínica

Bom, como já falamos, o Botox não é a única marca no mercado. Existem outras, mas vamos te apresentar as 6 mais conhecidas:

  • Botox, como você deve imaginar, é a marca mais conhecida da substância, porque foi a primeira a se popularizar. Por isso muitos pacientes, e até alguns profissionais, utilizam os dois termos como sinônimos. O Botox é comercializado na forma congelada à vácuo e tem albumina em sua composição.
  • O Prosigne é comercializado em pó liofilizado e foi uma das últimas marcas a aparecerem no cenário da Harmonização. Ele também tem ação e eficácia semelhante ao Botox.
  • Xeomin é uma das marcas que, de acordo com o CONTOX – Congresso de HOF, revolucionou o mercado. Isso porque ele não precisa de refrigeração. Também vem sob a forma de pó liofilizado, e tem albumina e sacarose em sua formulação.
  • Dysport é uma marca bem popular mundialmente, porque está presente há mais de 25 anos no mercado, e só é comercializada na forma liofilizada.
  • Botulift é uma marca mais acessível, por isso conquistou os consultórios odontológicos, e é amplamente utilizada no Brasil. Também vem sob a forma liofilizada e tem albumina em sua composição.
  • O Botulim é um dos mais novos no mercado brasileiro, mas está se tornando bem popular por causa de seu preço acessível. Sua formulação é mais pura do que a do Botox, porque conseguiu eliminar quase que por completo a albumina de sua composição.

Qual é a primeira dica para usar a Toxina Botulínica?

Antes de tudo, você deve controlar rigorosamente o uso da Toxina Botulínica. O que queremos dizer com isso? Assim que você abrir um novo frasco e restituir o produto, deve registrar a data em que isso foi feito, marcar o lote, a data de fabricação e a validade no prontuário do paciente.

Você não pode esquecer de fazer esse passo, pois é uma medida de segurança para você se proteger juridicamente. Caso você precise, terá essas informações salvas para utilizar quando for necessário.

Enfim, a diluição da Toxina é o primeiro passo para iniciar o tratamento. Caso alguma coisa dê errado nesse processo, você perderá todo o produto. Você deve realizar essa etapa com muito cuidado para que isso não aconteça.

Como dissemos anteriormente, cada marca tem suas particularidades, mas será que isso significa que a diluição delas é diferente?

Não, em sua maioria, esse processo segue a mesma base de diluição. Veja no bloco seguinte como fazer esse processo.

Como diluir a Toxina Botulínica?

Para começar, é necessário que você tenha alguns materiais, que são:

  • Frasco de Toxina Botulínica tipo A;
  • Soro fisiológico estéril a 0,9%;
  • Seringa do tipo luer lock;
  • Agulha de canhão preto ou rosa;
  • Uma segunda agulha, mais espessa.

Existem diversas técnicas para fazer a restituição do produto. Contudo a mais comum é aquela que remove o vácuo do produto, com exceção da marca Xeomin, porque não é lacrada à vácuo. Mas é importante que você leia a bula e siga as instruções de uso, caso tenha alguma ressalva.

Então, em primeiro lugar, remova o vácuo com uma agulha 22G e a retire em seguida. Em segundo lugar, perfure o frasco com uma agulha de calibre mais fino, uma de 26G, por exemplo.

Em seguida, deve introduzir 2ml de soro fisiológico estéril a 0,9% no frasco de Toxina Botulínica. Faça isso com o bisel voltado para o vidro do frasco, com calma e aos poucos, para não turbilhonar o produto ou gerar bolhas.

Para misturar as substâncias, você deve realizar movimentos circulares no frasco, mas sem chacoalhar. Depois, retorne o frasco para a geladeira por 2 minutos. Por fim, pode realizar a aplicação no paciente.

Como armazenar a Toxina Botulínica corretamente?

De acordo com a Farmacêutica Allergan Produtos Farmacêuticos LTDA, que comercializa o Botox, a eficácia do produto depende das condições de armazenamento, da dosimetria correta e das técnicas.

Portanto, se o profissional de HOF administrar o produto de forma errada, pode causar efeitos adversos. Por exemplo, dor, inflamação, sensibilidade, edema, infecção e hematoma. Assim, sendo, o armazenamento da Toxina Botulínica se divide em 2 tipos: antes e depois da restituição.

Quando o produto ainda não foi diluído, você deve mantê-lo na geladeira. Com exceção da Xeomin, já que aguenta ficar sob temperatura ambiente.

Depois de diluir a Toxina, segundo os fabricantes, você não deve demorar a utilizá-la. Por isso os profissionais mais experientes não indicam diluir todo o frasco de uma única vez. Pode parecer que você vai ganhar tempo com isso, mas na realidade vai causar a perda do produto, se não utilizá-lo por completo nas próximas horas.

Quando utilizar o produto?

De acordo com a Allergan, as indicações para o Botox são para tratamentos de:

  • Estrabismo e blefarospasmo, em pacientes acima de 12 anos;
  • Espasmo hemifacial e distonia cervical;
  • Espasticidade muscular;
  • Hidrose focal, palmar e incontinência urinária causada por hiperatividade neurogênica do músculo da bexiga;
  • Bexiga hiperativa, por aumento da frequência urinária em pacientes adultos;
  • Enxaquecas crônicas e refratárias, como forma de profilaxia.

Também há algumas indicações mais comuns que, de acordo com o Dr. Diogo Melo, são para linhas hipercinéticas, distonias, bruximo e briquismo.

Contraindicações de uso da Toxina Botulínica

De acordo com a bula do Botox da Allergan, algumas das contraindicações são para pessoas com antecedentes de alergias ou hipersensibilidade a algum componente da Toxina. Também não indica-se o uso em locais que tenham infecções.

No caso de tratamentos na bexiga, não deve-se aplicar o produto quando o paciente apresentar infecção de urina no momento do tratamento. Assim como em pacientes com retenção urinária aguda não cateterizados.

O Dr. Diogo Melo afirma que não é indicado a aplicação da Toxina em casos de:

  • Depressão química ou por trauma, o paciente que está passando por isso não tem uma visão real de si mesmo. Portanto isso pode gerar uma insatisfação contínua no tratamento;
  • Pacientes grávidas e lactantes. Não existem estudos suficientes para comprovar a segurança do seu uso, por isso é melhor não coloca-las em risco se não for extremamente necessário;
  • Alergia a Albumina, que é uma substância que está presente em algumas marcas do produto, como citamos no começo do artigo. Mesmo que a porcentagem dessa substância seja baixa, ainda pode gerar uma reação alérgica;
  • A vacina Antitetânica é antagonista da toxina. Isso porque além de atuar no combate da bactéria que causa o tétano, também tem efeito na bactéria que origina a Toxina Botulínica, a Clostridium botulinum. Portanto, se seu paciente tomou esta vacina há pouco tempo, você só deve realizar o procedimento após 3 meses.
  • O uso de anti-inflamatórios também afeta o tratamento com a Toxina, porque diminui sua vida útil, ou seja, diminui o tempo de ação do produto.

Veja também: Toxina Botulínica nos músculos da face músculos da face

Bônus: Como otimizar o uso dos materiais injetáveis?

Para garantir que não haja nenhum desperdício de produto, você pode utilizar a análise facial do SHOF, que utiliza Inteligência Artificial para marcar pontos automaticamente na face do seu paciente. Assim, você consegue ter dados muito mais precisos para planejar o tratamento do seu paciente.

Além disso, ainda consegue mudar manualmente a posição dos pontos e registrar a quantidade de cada produto em cada aplicação.

No SHOF, você encontra muitos outros recursos para facilitar seu dia a dia na HOF, como:

  • Anamneses específicas para cada etapa do tratamento;
  • Planejamento virtual dos procedimentos;
  • Orientações e envio de alertas automáticos;
  • Chat e agendamento de consultas online;
  • Prontuário digital;
  • Armazenamento em nuvem de todos os dados e arquivos.

Para ter acesso a todos esses recursos, conheça o SHOF aqui!

SHOF
Autora

© SHOF - Todos os Direitos Reservados.

Contatos